1

1

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Liturgia Diária

  • Branco. Visitação de Nossa Senhora, Festa
Evangelho - Lc 1,39-56
Como posso merecer que a mãe do meu Senhor venha visitar-me?
 
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 1,39-56

39Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa,
dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judéia.
40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel.
41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria,
a criança pulou no seu ventre
e Isabel ficou cheia do Espírito Santo.
42Com um grande grito, exclamou:
"Bendita és tu entre as mulheres
e bendito é o fruto do teu ventre!"
43Como posso merecer
que a mãe do meu Senhor me venha visitar?
44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos,
a criança pulou de alegria no meu ventre.
45Bem-aventurada aquela que acreditou,
porque será cumprido, o que o Senhor lhe prometeu".
46Maria disse:
"A minha alma engrandece o Senhor,
47e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador,
48pois, ele viu a pequenez de sua serva,
eis que agora as gerações hão de chamar-me de bendita.
49O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
50Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam.
51Demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos.
52Derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou.
53De bens saciou os famintos
despediu, sem nada, os ricos.
54Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,
55como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre".
56Maria ficou três meses com Isabel;
depois voltou para casa.
Palavra da Salvação.
 
1ª Leitura - Sf 3,14-18
O rei de Israel, o Senhor, está no meio de ti.
 
Leitura da Profecia de Sofonias 3,14-18

14Canta de alegria, cidade de Sião;
rejubila, povo de Israel!
Alegra-te e exulta de todo o coração,
cidade de Jerusalém!
15O Senhor revogou a sentença contra ti,
afastou teus inimigos;
o rei de Israel é o Senhor, ele está no meio de ti,
nunca mais temerás o mal.
16Naquele dia, se dirá a Jerusalém:
"Não temas, Sião,
não te deixes levar pelo desânimo!
17O Senhor, teu Deus, está no meio de ti,
o valente guerreiro que te salva;
ele exultará de alegria por ti,
movido por amor;
exultará por ti, entre louvores,
18como nos dias de festa.
Afastarei de ti a desgraça,
para que nunca mais te cause humilhação".
Palavra do Senhor.
 
Salmo - Is 12,2-3.4bcd.5-6 (R.6b)
R. O Santo de Israel é grande entre vós.


2Eis o Deus, meu Salvador, eu confio e nada temo; +
o Senhor é minha força, meu louvor e salvação. *
3
Com alegria bebereis do manancial da salvação.R.

4be direis naquele dia: "Dai louvores ao Senhor, +
4cinvocai seu santo nome, anunciai suas maravilhas, *
4
dentre os povos proclamai que seu nome é o mais sublimeR.

5Louvai cantando ao nosso Deus, que fez prodígios e portentos, *
publicai em toda a terra suas grandes maravilhas!
6Exultai cantando alegres, habitantes de Sião, *
porque é grande em vosso meio o Deus Santo de Israel!"R.

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Formação de Catequistas - 25/05/2013

Liturgia Diária

  • Branco. Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo Tempo Comum 

Evangelho - Lc 9,11b-17
Todos comeram e ficaram satisfeitos.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 9,11b-17
Naquele tempo:
11bJesus acolheu as multidões,
falava-lhes sobre o Reino de Deus
e curava todos os que precisavam.
12A tarde vinha chegando.
Os doze apóstolos aproximaram-se de Jesus
e disseram: 'Despede a multidão,
para que possa ir aos povoados e campos vizinhos
procurar hospedagem e comida,
pois estamos num lugar deserto.'
13Mas Jesus disse: 'Dai-lhes vós mesmos de comer.'
Eles responderam:'Só temos cinco pães e dois peixes.
A não ser que fôssemos comprar comida
para toda essa gente.'
14Estavam ali mais ou menos cinco mil homens.
Mas Jesus disse aos discípulos:
'Mandai o povo sentar-se em grupos de cinqüenta.'
15Os discípulos assim fizeram, e todos se sentaram.
16Então Jesus tomou os cinco pães e os dois peixes,
elevou os olhos para o céu, abençoou-os, partiu-os
e os deu aos discípulos para distribuí-los à multidão.
17Todos comeram e ficaram satisfeitos.
E ainda foram recolhidos doze cestos
dos pedaços que sobraram.
Palavra da Salvação.
 
1ª Leitura - Gn 14,18-20
Trouxe pão e vinho.
Leitura do Livro do Gênesis 14,18-20
Naqueles dias:
18Melquisedec, rei de Salém, trouxe pão e vinho
e como sacerdote do Deus Altíssimo,
19abençoou Abrão, dizendo:
'Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo,
criador do céu e da terra!
20Bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou
teus inimigos em tuas mãos!'
E Abrão entregou-lhe o dízimo de tudo.
Palavra do Senhor.
 
2ª Leitura - 1Cor 11,23-26
Todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes
deste cálice proclamais a morte do Senhor.
Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios 11,23-26
Irmãos:
23O que eu recebi do Senhor foi isso que eu vos
transmiti: Na noite em que foi entregue, 
o Senhor Jesus tomou o pão 
24e, depois de dar graças, partiu-o e disse:
'Isto é o meu corpo que é dado por vós.
Fazei isto em minha memória'.
25Do mesmo modo, depois da ceia,
tomou também o cálice e disse:
'Este cálice é a nova aliança, em meu sangue.
Todas as vezes que dele beberdes,
fazei-o em memória de mim'.
26Todas as vezes, de fato, que comerdes deste pão
e beberdes deste cálice,
estareis proclamando a morte do Senhor,
até que ele venha.
Palavra do Senhor.
 
Salmo - Sl 109,1.2.3.4 (R. 4bc)
R. Tu és eternamente sacerdote
segundo a ordem do rei Melquisedec!

1Palavra do Senhor ao meu Senhor:*
'Assenta-te ao lado meu direito
até que eu ponha os inimigos teus*
como escabelo por debaixo de teus pés!'R.

2O Senhor estenderá desde Sião 
vosso cetro de poder, pois Ele diz:*
'Domina com vigor teus inimigos; R

3tu és príncipe desde o dia em que nasceste; 
na glória e esplendor da santidade,*
como o orvalho, antes da aurora, eu te gerei!'R.

4Jurou o Senhor e manterá sua palavra:
'Tu és sacerdote eternamente,*
segundo a ordem do rei Melquisedec!'R.

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Liturgia Diária

  • Verde. 4ª-feira da 8ª Semana Tempo Comum 

Evangelho - Mc 10,32-45
Eis que estamos subindo para Jerusalém,
e o Filho do Homem vai ser entregue.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 10,32-45
Naquele tempo:
32Os discípulos estavam a caminho
subindo para Jerusalém.
Jesus ia na frente.
Os discípulos estavam espantados,
e aqueles que iam atrás estavam com medo.
Jesus chamou de novo os Doze à parte
e começou a dizer-lhes o que estava para acontecer com ele:
33'Eis que estamos subindo para Jerusalém,
e o Filho do Homem vai ser entregue
aos sumos sacerdotes e aos doutores da Lei.
Eles o condenarão à morte e o entregarão aos pagãos.
34Vão zombar dele, cuspir nele, vão torturá-lo e matá-lo.
E depois de três dias ele ressuscitará.'
35Tiago e João, filhos de Zebedeu,
foram a Jesus e lhe disseram:
'Mestre, queremos que faças por nós o que vamos pedir.'
36Ele perguntou:
'O que quereis que eu vos faça?'
37Eles responderam:
'Deixa-nos sentar um à tua direita e outro à tua esquerda,
quando estiveres na tua glória!'
38Jesus então lhes disse:
'Vós não sabeis o que pedis.
Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber?
Podeis ser batizados com o batismo
com que vou ser batizado?'
39Eles responderam: 'Podemos.'
E ele lhes disse:
'Vós bebereis o cálice que eu devo beber,
e sereis batizados com o batismo
com que eu devo ser batizado.
40Mas não depende de mim conceder
o lugar à minha direita ou à minha esquerda.
É para aqueles a quem foi reservado'.
41Quando os outros dez discípulos ouviram isso,
indignaram-se com Tiago e João.
42Jesus os chamou e disse:
'Vós sabeis que os chefes das nações as oprimem
e os grandes as tiranizam.
43Mas, entre vós, não deve ser assim:
quem quiser ser grande, seja vosso servo;
44e quem quiser ser o primeiro, seja o escravo de todos.
45Porque o Filho do Homem não veio para ser servido,
mas para servir e dar a sua vida como resgate para muitos.'
Palavra da Salvação.
1ª Leitura - Eclo 36,1-2a. 5-6. 13-19 (Gr. 1.4-5a.10-17)
Saibam todos os povos que não há outro Deus senão vós.
Leitura do Livro do Eclesiástico 36,1-2a. 5-6. 13-19 (Gr. 1.4-5a.10-17)

1Tende piedade de nós, Senhor,
Deus do mundo inteiro, e olhai!
Mostrai-nos a luz do vosso amor.
2aInfundi o vosso temor em todos os povos que não vos procuram,
para que saibam que não há outro Deus senão vós.
5Que eles vos reconheçam,
como nós vos reconhecemos,
que não há Deus além de vós, Senhor.
6Fazei novos milagres,
renovai os prodígios.
13Reuni as tribos todas de Jacó,
e dai-lhes a herança como no tempo antigo.
14Tende piedade do povo chamado pelo vosso nome,
e de Israel, a quem tratastes como primogênito.
15Compadecei-vos de vossa santa cidade,
de Jerusalém, lugar de vossa morada.
16Enchei Sião de vossa majestade,
e de vossa glória o templo.
17Dai testemunho daqueles que, desde o início,
são vossas criaturas,
realizai o que os profetas em vosso nome disseram.
18Dai a recompensa àqueles que esperam em vós,
mostrai que os vossos profetas tinham razão.
Escutai, Senhor, a oração dos vossos servos,
19pela benevolência que tendes para com vosso povo,
conduzi-nos no caminho da justiça,
e que o mundo inteiro reconheça
que vós sois o Senhor, o Deus de todos os tempos.
Palavra do Senhor.

Salmo - Sl 78,8. 9. 11. 13 (R. Eclo 36,1b)
R. Tende compaixão e olhai por nós, Senhor!

8Não lembreis as nossas culpas do passado, +
mas venha logo sobre nós vossa bondade, *
pois estamos humilhados em extremo.R.

9Ajudai-nos, nosso Deus e Salvador! +
Por vosso nome e vossa glória, libertai-nos! *
Por vosso nome, perdoai nossos pecados!R.

11Até vós chegue o gemido dos cativos: +
libertai com vosso braço poderoso *
os que foram condenados a morrer!R.

13Quanto a nós, vosso rebanho e vosso povo, +
celebraremos vosso nome para sempre, *
de geração em geração vos louvaremos.R.

terça-feira, 28 de maio de 2013

Liturgia Diária

Evangelho - Mc 10,28-31
Receberá cem vezes mais agora, durante esta vida
com perseguições e, no mundo futuro, a vida eterna.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 10,28-31
Naquele tempo:
28Começou Pedro a dizer a Jesus:
'Eis que nós deixamos tudo e te seguimos.'
29Respondeu Jesus:
'Em verdade vos digo,
quem tiver deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos,
campos, por causa de mim e do Evangelho,
30receberá cem vezes mais agora, durante esta vida
- casa, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos,
com perseguições -
e, no mundo futuro, a vida eterna.
31Muitos que agora sóo os primeiros serão os últimos.
E muitos que agora são os últimos serão os primeiros.'
Palavra da Salvação.
1ª Leitura - Eclo 35,1-15 (Gr. 1-12)
Aquele que cumpre os preceitos
oferece um sacrifício salutar.
Leitura do Livro do Eclesiástico 35,1-15 (Gr. 1-12)
1Aquele que guarda a lei faz muitas oferendas;
2aquele que cumpre os preceitos
oferece um sacrifício salutar. (3)
4Aquele que mostra agradecimento,
oferece flor de farinha,
e o que pratica a beneficência
oferece um sacrifício de louvor.
5O que agrada ao Senhor é afastar-se do mal,
e o que o aplaca é deixar a injustiça.
6Não te apresentes na presença de Deus de mãos vazias,
7porque tudo isso se faz em virtude do preceito.
8O sacrifício do justo enriquece o altar,
o seu perfume sobe ao Altíssimo.
9A oblação do justo é aceitável,
e sua memória não cairá no esquecimento.
10Honra ao Senhor com coração generoso
e não regateies as primícias que apresentares.
11Faze todas as tuas oferendas com semblante sereno,
e com alegria consagra o teu dízimo.
12Dá a Deus segundo a doação que ele te fez,
e com generosidade, conforme as tuas posses;
13porque ele é um Deus retribuidor,
e te recompensará sete vezes mais.
14Não tentes corrompê-lo com presentes:
ele não os aceita;
15nem confies em sacrifício injusto,
porque o Senhor é um juíz
que não faz discriminação de pessoas.
Palavra do Senhor.
Salmo - Sl 49, 5-6. 7-8. 14.23 (R. 23b)
R. A todos que procedem retamente,
eu mostrarei a salvação que vem de Deus


5'Reuni à minha frente os meus eleitos, *
que selaram a Aliança em sacrifícios!'
6Testemunha o próprio céu seu julgamento, *
porque Deus mesmo é juiz e vai julgar.R.

7'Escuta, ó meu povo, eu vou falar; +
ouve, Israel, eu testemunho contra ti: *
Eu, o Senhor, somente eu, sou o teu Deus!
8Eu não venho censurar teus sacrifícios, *
pois sempre estão perante mim teus holocaustos; R.

14Imola a Deus um sacrifício de louvor *
e cumpre os votos que fizeste ao Altíssimo.
23Quem me oferece um sacrifício de louvor, *
este sim é que me honra de verdade.
A todo homem que procede retamente, *
eu mostrarei a salvação que vem de Deus'.R.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Liturgia Diária

Evangelho (Mc 10,17-27)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor!

 

Naquele tempo, 17quando Jesus saiu a caminhar, veio alguém correndo, ajoelhou-se diante dele, e perguntou: “Bom Mestre, que devo fazer para ganhar a vida eterna?”

18Jesus disse: “Por que me chamas de bom? Só Deus é bom, e mais ninguém. 19Tu conheces os mandamentos: não matarás; não cometerás adultério; não roubarás; não levantarás falso testemunho; não prejudicarás ninguém; honra teu pai e tua mãe!”

20Ele respondeu: “Mestre, tudo isso tenho observado desde a minha juventude”. 21Jesus olhou para ele com amor, e disse: “Só uma coisa te falta: vai, vende tudo o que tens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois vem e segue-me!”

22Mas quando ele ouviu isso, ficou abatido e foi embora cheio de tristeza, porque era muito rico. 23Jesus então olhou ao redor e disse aos discípulos: “Como é difícil para os ricos entrar no Reino de Deus!”

24Os discípulos se admiravam com estas palavras, mas ele disse de novo: “Meus filhos, como é difícil entrar no Reino de Deus! 25É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus!”

26Eles ficaram muito espantados ao ouvirem isso, e perguntavam uns aos outros: “Então, quem pode ser salvo?” 27Jesus olhou para eles e disse: “Para os homens isso é impossível, mas não para Deus. Para Deus tudo é possível”.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

Primeira Leitura (Eclo 17,20-28)

Leitura do Livro do Eclesiástico.

20Aos arrependidos Deus concede o caminho de regresso, e conforta aqueles que perderam a esperança, e lhes dá a alegria da verdade. 21Volta ao Senhor e deixa os teus pecados, 22suplica em sua presença e diminui as tuas ofensas. 23Volta ao Altíssimo, desvia-te da injustiça e detesta firmemente a iniquidade.

24Conhece a justiça e os juízos de Deus e permanece constante no estado em que ele te colocou, e na oração ao Deus altíssimo. 25Anda na companhia do povo santo, com aqueles que vivem e proclamam a glória de Deus. 26Não te demores no erro dos ímpios, louva a Deus antes da morte; o morto, como quem não existe, já não louva. 27Louva a Deus enquanto vives; glorifica-o enquanto tens vida e saúde, louva a Deus e glorifica-o nas suas misericórdias. 28Quão grande é a misericórdia do Senhor, e o seu perdão para com todos aqueles que a ele se convertem!


- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial (Sl 31)

— Ó justos, alegrai-vos no Senhor!

— Ó justos, alegrai-vos no Senhor!

— Feliz o homem que foi perdoado e cuja falta já foi encoberta! Feliz o homem a quem o Senhor não olha mais como sendo culpado, e em cuja alma não há falsidade!

— Eu confessei, afinal, meu pecado, e minha falta vos fiz conhecer. Disse: “Eu irei confessar meu pecado!” E perdoastes, Senhor, minha falta.

— Todo fiel pode, assim, invocar-vos, durante o tempo da angústia e aflição, porque, ainda que irrompam as águas, não poderão atingi-lo jamais.

— Sois para mim proteção e refúgio; na minha angústia me haveis de salvar, e envolvereis a minha alma no gozo da salvação que me vem só de vós.

domingo, 26 de maio de 2013

Solenidade da Santíssima Trindade – C

Por: Padre Wagner Augusto Portugal

942660_578292808867820_1881157198_n"Bendito seja Deus Pai, bendito o Filho unigênito e bendito o Espírito Santo. Deus foi misericordioso para conosco".

Meus queridos Irmãos,

Deus é o “mistério”. Isso não significa, estritamente, sua inacessibilidade ou incognoscoscibilidade. Significa muito pelo contrário que, enquanto “nele nos movemos e existimos” (cf. At 17,28), nossa compreensão não consegue engloba-lo. Por isso, ele se manifesta exatamente naquilo que nos envolve, em primeiro lugar, na insondável sabedoria com que o universo foi feito. Assim, o judaísmo viu na sabedoria de Deus uma realidade preexistente ao próprio universo: a primeira criatura de Deus, conforme nos ensina a primeira leitura.

Assim ao longo do ano litúrgico vamos celebrando as grandes festas da vida cristã. Hoje celebramos o mistério da Santíssima Trindade: um Deus em três pessoas – Pai, Filho, Espírito Santo, - uma verdade fundamental da nossa fé cristã, que expressamos inúmeras vezes, por palavras e gestos, na sagrada liturgia, na oração particular, na oração pública, todas as vezes que traçamos sobre nossa fronte o sinal da doce salvação, o sinal do cristão, a o “sinal da santa cruz!”(cf. Evangelho de João 16,12-15).

Caros irmãos,

A Primeira Leitura(cf. Pr 8,22-31) nos apresenta a Sabedoria divina que existe antes de tudo. O Antigo Testamento não conhece a revelação de Deus em três pessoas, mas fala do Deus vivo, que age e fala e que, com seu Espírito, penetra em todo o ser e a história da humanidade. “Palavra”, “Espírito”, “Sabedoria” de Deus aparecem, para o pensamento do Antigo Testamento, como realidades divinas atuantes. Preparam a visão das três pessoas divinas no Novo Testamento. O capítulo 8 do Livro dos Provérbios é um grande poema, em que a Sabedoria tem a palavra. Fala de sua origem antes dos tempos, de seu lugar ao lado de Deus na criação, mas também, ao lado dos homens. Paulo identificará o Cristo crucificado com a “força e a sabedoria de Deus”. Esta é a plena revelação da Sabedoria de Deus: estar junto aos homens no sofrimento e na doação até o fim.

Irmãos e Irmãs,

Na Segunda Leitura(cf. Rm 5,1-5) nos apresenta o amor de Deus que se derramou em nós. Não por causa de privilégios nossos, mas porque Cristo por nós morreu, somos justos diante de Deus. Nisso reconhecemos que Deus quer nos salvar e nos amar; por isso esperamos. Que somos capazes de participar de sua vida, é obra de seu Espírito em nós.

Irmãos e Irmãs,

O Catecismo da Igreja Católica define a Santíssima Trindade como “O mistério da Santíssima Trindade é o mistério central da fé e da vida cristã. Só Deus no-lo pode dar a conhecer, revelando-se como Pai, Filho e Espírito Santo”.(Cf. Catecismo da Igreja Católica número 261).

A comunidade cristã é a nova família desse Deus uno e trino, origem e finalidade de toda a criatura humana. Portanto, este mistério é a maior novidade trazida por Jesus no Novo Testamento. Jesus confirmou o Deus único, criador e Senhor do mundo, em que os hebreus acreditavam e em torno de quem faziam girar, com rigor, suas vidas, leis, cultos e atividades. Mas Jesus levou-nos para além dessa dimensão Deus-criaturas, mostrou-nos a vida de Deus no seu lado de dentro e revelou-nos que o amor do Pai personifica-se no Filho. Na Ceia Última, quando o Apóstolo Filipe pediu que Jesus lhes mostrasse o rosto do Pai, Jesus respondeu: “Quem me vê, vê o Pai...” “Eu estou no Pai e o Pai está em mim... Tudo o que o Pai possui é meu”(Cf. Jo 14,11; 16,15). E é na última Ceia, sobretudo, que Jesus fala do Espírito Santo, que o Pai haveria de mandar em seu nome(Cf. Jo 14,16-17).

Jesus é um com o Pai. Jesus é a imagem visível do Deus invisível(Cf. Jo 10,30; 14,10; 17,11.21; Cl 1,15). Em Jesus está a plenitude da divindade(Cl 2, 9), por isso mesmo, quem o vê, vê o Pai (Cf. Jo 12,45; 14,9). É, sobretudo, o Evangelho de João que descreve o Espírito Santo como pessoa divina (Cf Jo 14,16-26), presente e operante nos fiéis como estão presentes e operam o Pai (Cf Jo 17,21-23) e o Filho(Cf. Jo. 14,18). O prefácio da Missa de hoje formula assim essa verdade básica da fé: “sois um só Deus e um só Senhor, não uma única pessoa, mas três pessoas em um só Deus. Adoramos cada uma das pessoas, na mesma natureza e igual majestade”.

Se Nosso Senhor Jesus é a encarnação do amor do Pai, foi também por amor que o Pai o enviou ao mundo. Se Jesus provém do amor do Pai para expressar o amor de Deus, todos os seus gestos, passos e ensinamentos serão feitos de amor. O gesto mais amoroso de todos foi dar às criaturas humanas a garantia da vida eterna, isto é, a certeza doce de que poderão participar da vida de Deus, do amor de Deus. A condição de Jesus pôs é lógica: que creiamos nele como enviado do Pai e na sua força salvadora.

Meus queridos Irmãos,

Entender a Trindade é bebermos da fonte do amor de Deus por nós. Trindade é amor. Nós somos frutos deste cândido amor.

Deus nos imaginou. Deus nos amou. Deus nos criou e nos colocou no mundo. Somos, por conseguinte, um ser saído do amor trinitário de Deus a caminho do retorno ao mesmo amor. Nossa origem e nosso fim é a Trindade, que nos espera para fazer-nos participantes de sua glória. Pertencemos à Trindade, porque somos criaturas queridas e criadas pela Trindade.

A Trindade faz parte de nossas vidas desde o momento do Batismo. Somos batizados em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. A partir daí a Trindade passa a habitar em nossa vida, em nosso ser, em nossa existência.

Deus está conosco pela Trindade. Assim a Trindade não é uma coisa inacessível. Pelo contrário, a Trindade demonstra que nosso Deus é um Deus aberto, comunidade, dialogante que se manifesta, que nos ama, que age, que cria, que quer ser procurado e deixa-se encontrar.

Trindade que é riqueza inesgotável que a Igreja nos aponta para que saibamos onde Deus abre seu íntimo para nós: no seu Filho Jesus e no Espírito de Jesus que nos anima. Lá encontramos Deus, e o encontramos não como bloco de granito, monolítico, fechado, mas como pessoas que se relacionam, tendo cada uma sua própria atuação: o Pai que nos ama e nos chama à vida; o filho Jesus que fala do Pai para nós e mostra como o Pai é, sendo bom e fiel até o dom da própria vida na cruz; e o Espírito Santo, que doutro jeito ainda, fica sempre conosco. O Espírito Santo atualiza em nós a memória da vida e das palavras de Jesus e anima a ação evangelizadora da sua Igreja. E todos os três Pai, Filho e Espírito Santo estão unidos e formam uma unidade naquilo que Deus essencialmente é: amor.

Irmãos e Irmãs,

A festa da Santíssima Trindade desperta em nós este desejo de conhecê-lo, porque Deus dá sempre o primeiro passo em direção a nós. Neste ano, é acentuado particularmente o fato de que Deus se manifesta, se revela, se nos dá a conhecer e nos oferece um conhecimento pessoal, querer um face a face com cada um de nós, para que nos abramos todos ao grande face a face de Deus. A Trindade se manifesta de modo máximo na comunicação do Espírito ao amor aos homens, para que os homens, amando-se como Cristo os amou, amem a Deus e entrem em intimidade com a divina Comunidade de amor. Diante do mistério do Deus Uno e Trino propriamente não nos resta senão adorar e dizer: “Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo!”. Amém!

Fonte: http://www.catequisar.com.br/texto/liturgia/2013/39.htm

Liturgia Diária

Domingo, 26 de Maio de 2013
Santíssima Trindade

Evangelho (João 16,12-15)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor!
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:
12“Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de as compreender agora.
13Quando, porém, vier o Espírito da Verdade, ele vos conduzirá à plena verdade. Pois ele não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido; e até as coisas futuras vos anunciará.
14Ele me glorificará, porque receberá do que é meu e vo-lo anunciará. 15Tudo o que o Pai possui é meu. Por isso, disse que o que ele receberá e vos anunciará, é meu”.
- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Primeira leitura (Provérbios 8,22-31)

Leitura do Livro dos Provérbios:
Assim fala a Sabedoria de Deus: 22“O Senhor me possuiu como primícia de seus caminhos, antes de suas obras mais antigas; 23desde a eternidade fui constituída, desde o princípio, antes das origens da terra. 24Fui gerada quando não existiam os abismos, quando não havia os mananciais das águas, 25antes que fossem estabelecidas as montanhas, antes das colinas fui gerada.
26Ele ainda não havia feito as terras e os campos, nem os primeiros vestígios de terra do mundo.
27Quando preparava os céus, ali estava eu, quando traçava a abóbada sobre o abismo,28quando firmava as nuvens lá no alto e reprimia as fontes do abismo, 29quando fixava ao mar os seus limites — de modo que as águas não ultrapassassem suas bordas — e lançava os fundamentos da terra, 30eu estava ao seu lado como mestre-de-obras; eu era seu encanto, dia após dia, brincando, todo o tempo, em sua presença, 31brincando na superfície da terra, e alegrando-me em estar com os filhos dos homens”.
- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Segunda leitura (Romanos 5,1-5)

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos:
Irmãos: 1Justificados pela fé, estamos em paz com Deus, pela mediação do Senhor nosso, Jesus Cristo. 2Por ele tivemos acesso, pela fé, a esta graça, na qual estamos firmes e nos gloriamos, na esperança da glória de Deus.
3E não só isso, pois nos gloriamos também de nossas tribulações, sabendo que a tribulação gera a constância, 4a constância leva a uma virtude provada, a virtude provada desabrocha em esperança; 5e a esperança não decepciona, porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.
- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Salmo (Salmos 8)

— Ó Senhor, nosso Deus, / como é grande vosso nome /por todo o universo!
— Ó Senhor, nosso Deus, /como é grande vosso nome /por todo o universo!
— Contemplando estes céus que plasmastes/ e formastes com dedos de artista;/ vendo a lua e estrelas brilhantes, perguntamos: /”Senhor, que é o homem,/ para dele assim vos lembrardes/ e o tratardes com tanto carinho?”
— Pouco abaixo de Deus o fizestes,/ coroando-o de glória e esplendor;/ vós lhe destes poder sobre tudo,/ vossas obras aos pés lhe pusestes:
— as ovelhas, os bois, os rebanhos,/ todo o gado e as feras da mata;/ passarinhos e peixes dos mares,/ todo ser que se move nas águas.

sábado, 25 de maio de 2013

Liturgia Diária

Sábado, 25 de Maio de 2013
7a. Semana Comum

Evangelho (Marcos 10,13-16)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor!
Naquele tempo, 13traziam crianças para que Jesus as tocasse. Mas os discípulos as repreendiam. 14Vendo isso, Jesus se aborreceu e disse: “deixai vir a mim as crianças. Não as proibais, porque o Reino de Deus é dos que são como elas.
15Em verdade vos digo: quem não receber o Reino de Deus como uma criança, não entrará nele”. 16Ele abraçava as crianças e as abençoava, impondo-lhes as mãos.
- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Primeira leitura (Eclesiástico 17,1-13)

Leitura do Livro do Eclesiástico.
1Da terra Deus criou o homem, e o formou à sua imagem. 2E à terra o faz voltar novamente, embora o tenha revestido de poder, semelhante ao seu. 3Concedeu-lhe dias contados e tempo determinado, deu-lhe autoridade sobre tudo o que está sobre a terra.4Em todo ser vivo infundiu o temor do homem, fazendo-o dominar sobre as feras e os pássaros.
5Deu aos homens discer­nimento, língua, olhos, ouvidos, e um coração para pensar; encheu-os de inteligência e de sabedoria. 6Deu-lhes ainda a ciência do espírito, encheu o seu coração de bom senso e mostrou-lhes o bem e o mal. 7Infundiu o seu temor em seus corações, mostrando-lhes as grandezas de suas obras. 8Concedeu-lhes que se gloriassem de suas maravilhas, louvassem o seu Nome Santo e proclamassem as grandezas de suas obras.
9Concedeu-lhes ainda a instrução e entregou-lhes por herança a lei da vida. 10Firmou com eles uma aliança eterna e mostrou-lhes sua justiça e seus julgamentos. 11Seus olhos viram as grandezas da sua glória e seus ouvidos ouviram a glória da sua voz. Ele lhes disse: “Tomai cuidado com tudo o que é injusto!” 12E a cada um deu mandamentos em relação a seu próximo. 13Os caminhos dos homens estão sempre diante do Senhor e não podem ficar ocultos a seus olhos.
- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Salmo (Salmos 102)

— O amor do Senhor por quem o respeita, é de sempre e para sempre.
— O amor do Senhor por quem o respeita, é de sempre e para sempre.
— Como um pai se compadece de seus filhos, o Senhor tem compaixão dos que o temem. Porque sabe de que barro somos feitos, e se lembra de que apenas somos pó.
— Os dias do homem se parecem com a erva, ela floresce como a flor dos verdes campos; mas apenas sopra o vento ela se esvai, já nem sabemos onde era o seu lugar.
— Mas o amor do Senhor Deus por quem o teme é de sempre e perdura para sempre; e também sua justiça se estende por gerações até os filhos de seus filhos, aos que guardam fielmente sua Aliança.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Liturgia Diária

Sexta-Feira, 24 de Maio de 2013
7a. Semana Comum

Evangelho (Marcos 10,1-12)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 1Jesus foi para o território da Judeia, do outro lado do Jordão. As multidões se reuniram de novo em torno de Jesus. E ele, como de costume, as ensinava.2Alguns fari­seus se aproximaram de Jesus. Para pô-lo à prova, perguntaram se era permitido ao homem divorciar-se de sua mulher.
3Jesus perguntou: “O que Moisés vos ordenou?” 4Os fari­seus responderam: “Moisés permitiu escrever uma certidão de divórcio e despedi-la”. 5Jesus então disse: “Foi por causa da dureza do vosso coração que Moi­sés vos escreveu este mandamento. 6No entanto, desde o começo da criação, Deus os fez homem e mulher. 7Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e os dois serão uma só carne. 8Assim, já não são dois, mas uma só carne. 9Portanto, o que Deus uniu, o homem não separe!”
10Em casa, os discípulos fizeram, novamente, perguntas sobre o mesmo assunto.11Jesus respondeu: “Quem se divorciar de sua mulher e casar com outra, cometerá adultério contra a primeira. 12E se a mulher se divorciar de seu marido e casar com outro, cometerá adultério”.
- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Primeira leitura (Eclesiástico 6,5-17)

Leitura do Livro do Eclesiástico.
5Uma palavra amena multiplica os amigos e acalma os inimigos; uma língua afável multiplica as saudações. 6Sejam numerosos os que te saúdam, mas teus conselheiros, um entre mil. 7Se queres adquirir um amigo, adquire-o na provação; e não te apresses em confiar nele. 8Porque há amigo de ocasião, que não persevera no dia da aflição. 9Há amigo que passa para a inimizade, e que revela as desavenças para te envergonhar.
10Há amigo que é companheiro de mesa e que não persevera no dia da necessidade.11Quando fores bem-sucedido, ele será como teu igual e, sem cerimônia, dará ordens a teus criados. 12Mas, se fores humilhado, ele estará contra ti e se esconderá da tua presença.
13Afasta-te dos teus inimigos e toma cuidado com os amigos. 14Um amigo fiel é poderosa proteção: quem o encontrou, encontrou um tesouro. 15Ao amigo fiel não há nada que se compare, é um bem inestimável. 16Um amigo fiel é um bálsamo de vida; os que temem o Senhor vão en­contrá-lo. 17Quem teme o Senhor, conduz bem a sua amizade: como ele é, tal será o seu amigo.
- Palavra do Senhor.
- Graças a Deus.

Salmo (Salmos 118)

— Guiai-me pela estrada do vosso ensinamento!
— Guiai-me pela estrada do vosso ensinamento!
— Ó Senhor, vós sois bendito para sempre; os vossos mandamentos ensinai-me!
— Minha alegria é fazer a vossa vontade; eu não posso esquecer vossa palavra.
— Abri meus olhos, e então contemplarei as maravilhas que encerra a vossa lei!
— Fazei-me conhecer vossos caminhos, e então meditarei vossos prodígios!
— Dai-me o saber, e cumprirei a vossa lei, e de todo o coração a guardarei.
— Guiai meus passos no caminho que traçastes, pois só nele encontrarei felicidade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...